“Deus significa Amor”.

Admiro profundamente a palavras que lemos na bíblia. Eu mesmo pude sentir, em muitos momentos de minha vida o conforto trazido por elas, mas sinto principalmente nos últimos meses, que Deus tem me falado de outras formas.

Hoje tenho a graça de poder passar aquilo que sinto. Somente quando pude sentir Deus falando é que as palavras sagradas tiveram um verdadeiro sentido para mim.

Junto com meus irmão de fé, PV, toco as sextas-feiras em adoração, em uma igreja que fica no bairro de Olaria. Nesta sexta(18/12), a coordenadora do grupo de adoradores me perguntou antes de iniciarmos:

– Você pensou em algo pra hoje?

Eu respondi, certo de que como sempre não havia conseguido “planejar” nada:

– Que tal trabalharmos isso? (Apontando para a estampa de sua camisa).

Em sua camisa estava escrito o que para mim significa Deus – “Amor”.

Estive 16 anos participando intensamente em inúmeras atividades pastorais e somente neste último ano, pude verdadeiramente sentir o “Amor que é Deus” em sua essência.

Crianças, pobres, doentes, excluídos…esses são o maior exercício de amor para mim, superando muitas vezes as pessoas que quase nunca falo, por falarem mal de mim.

No olhar das crianças, pude recuperar muito do que perdi durante os anos. A pureza, a observância, a ternura, o amor primário, o amor puro. Sinto que isso reforça e muito a minha vocação a paternidade, mas tenho certeza que é algo que vai muito além disso.

O amor de uma criança é sempre sincero, se um pequenino ama alguém, esse amor é algo que fica claro, pois este ainda não desenvolveu a capacidade dissimulada de mentir com tanta perfeição, para os outros e para si mesmo, a ponto de fazer a mentira se tornar verdade. Noto um clara diferença entre os pequenos e as pequenas. Eles no geral são mais teimosos, mais chorosos, mais brutos. Destes tem-se o respeito de duas formas, pelo medo, que é perdido de acordo com o tempo ou pelo amor, que tende a se tornar uma admiração profunda, passando a enxergar no outro um reflexo do que quer para si.

Elas geralmente são ternas, mais carinhosas que eles, delicadas e encantadoras. Confesso ter uma grande dificuldade em agir de forma corretiva com elas. Uma simples palavra entoada por elas, me neutraliza.

Enxergo na diferença dos gêneros dos pequeninos, a perfeição da natureza criada por Deus.

“Cada qual possui sua essência, mas ambas são extraídas do mesmo jardim”.

 

Sem sombra de dúvidas o olhar mais difícil é ao pobre, doente e excluído. Quantas vezes, estive com um irmão de rua e não o olhei nos olhos?

Inúmeras! Por medo, por repulsa, por vergonha!

Estes são os mais queridos de Francisco! Foram para ele a voz de Deus.

Suas feridas da carne revelavam aos olhos uma parcela risória das feridas da alma.

Para mim são os mais difíceis de amar, não somente pelo seu aspecto, pois isso tenho aprendido a crescer e superar, mas principalmente por eles não saberem ser amados. Eu entendo que estes irmãos devem ter sofrido tanto em suas vidas, que qualquer proximidade com o próximo, possa representar uma nova agressão.

“Quando vejo suas almas, posso ver e sentir a dor. Isso me entristece, mas afirma meu chamado.”

 

“Senhor eu quero ama-los! Ensina-me!”          

 

O amor para mim meus irmãos, é um exercício de longa duração. Muitos levam sua vida toda exercitando e ainda sim não o sentem.

Um dia eu parei de tentar e decidi sentir. Foi a melhor troca de caminho para mim.

“Transformei minhas dúvidas em certezas, no momento em que disse, Sim”.

 

Gostaria de dividir um pouco desse amor convosco! As palavras são limitadas, mas também foram a única forma.

“Pai, sei que em minhas orações, Teu silêncio, só me basta!”

Certos do amor, agora vamos agir!

“Juntos somos Cristos”.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em O amor de Deus

“Faces”

Quem é esse homem, de face sofrida? …

 

…Que ao mesmo tempo, possui um rosto manso e humilde.

Essa é a face de Deus ou do homem?

Me fiz essas perguntas, após passar anos observando os escritos que falam sobre Jesus.

O menino da manjedoura, aquele que aos 12, ensinou os mestres da lei, que aos 30, iniciou a sua dita vida política, o mesmo que curou doentes, multiplicou alimentos e que ao 3° dia ressuscitou.

 

Passei minha infância ouvindo, que eu deveria ser como Ele, agir como Ele, falar como Ele, amar e perdoar como Ele. Juro que tentei bastante, e por vezes me esqueci desta busca, mas creio que mesmo ainda tentando, continuo sendo eu, humano, falho, pecador, porém obstinado a melhor a cada dia.

A alguns meses tenho visto um processo acontecer. Tenho sido cada vez mais natural, cada vez mais eu, porém tenho me visto cada dia mais diferente. As pessoas olham em meus olhos de forma diferente e creio que posso sentir exatamente o que elas sentem naquele momento.

 

Ante ontem escutei a seguinte frase: “Acho que nisso, você lembra muito Jesus…no seu olhar…”

Comecei a olhar para trás e pude me lembrar que em outras situações estive diante de outras pessoas que me disseram algo parecido. Por vezes relataram que em meu rosto havia algo diferente, algo belo, que lembra o Próprio Cristo.

 

Se isso for verdade, se realmente minha face resplandece Jesus Cristo, gostaria de ser cada dia mais portador desse graça. Sim graça! A graça de poder em um olhar resumir toda a existência humana, de unificar o antigo e o novo testamento, de poder dizer sem aos menos falar, que Deus te ama, mesmo que você não o ame, que te perdoa, mesmo sem você buscar isto e que Ele ainda acredita em ti, mesmo que você mesmo não acredite.

Faça de sua vida algo maior, maior que uma canção que morre em 5 minutos, bem mais do que uma vida que termina aos 80, faça dela um testemunho, uma bela história, a história de uma pessoa que na verdade, era Jesus.

Se hoje você não pode ver, sinta, se não pode sentir, permita-se permitir.

 

“Eu acredito que, juntos somos Cristo…o corpo e não um dos membro”.

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

“Pai, porque me abandonastes?”

jesus-na-cruz_pai porque me abandonastes

Pergunto sem esperar uma resposta, pois creio saber a da grande maioria.

Já se sentiu abandonado por todos, inclusive por Deus?

Jesus Cristo, exclamou na Cruz: “Eli, Eli, láma azavtani”.(Mat. 27;46).

“Senhor, Senhor, porque me abandonastes?”

E Ele realmente o abandonou!?

Quantas mães já devem ter dito isto?

Ao verem um filho ser morto a sua frente, por deverem ao tráfico de drogas ou por policiais que o julgaram culpado. Que vêem seus filhos recém nascidos padecerem em um hospital. Que pela terceira ou décima vez, sofrem um aborto espontâneo, e se sentem as totais culpadas pela perda.

Minha família e eu nos deparamos com essa questão à 10 anos atrás.

Eu estava para completar 11 anos e minha mãe estava grávida de minha irmã, Maria Clara. Meu pai era a cabeça da família, a razão nas decisões, minha mãe era o coração e eu me portava como qualquer outro membro do corpo, que possuísse uma importância menor(hoje me pergunto se há a tal diferença de importâncias, entres os membros deste corpo).

Em uma noite do mês de abril, eu tive um sonho, onde tudo era escuridão. No meio da escuridão, podia ouvir a voz de uma criança, uma menininha, que me chamava, pedindo socorro.Ao acordar, me vi deitado no velho sofá da casa de meus avós, em São Cristóvão, onde eu havia adormecido. Levantei, fui até a cozinha e tomei o café da manhã, que minha avó havia preparado. Perguntei por minha mãe e ela me respondeu que ela tinha ido a uma consulta. Menos de 2 horas depois, minha mãe retornou, com meu pai, meu avô e creio que como minha tia. Todos chegaram muito calados. Mal chegaram, e eu comecei a contar meu sonho. Minha mãe ouvindo, começou a chorar.

Ela já estava morta, em seu ventre!

A sua filha, a amada Maria Clara!

Minha irmãzinha, que eu tanto esperei!

Alguns dias depois(acredito que 2), foi feito o procedimento do parto, pois ela já era um ser humano formado.

Eu fui o último a ficar sabendo e creio que isso me fez minha dor ser ainda maior.

 Minha mãe disse que ela parecia comigo. O nariz, a boca desenhada, o tom de pele.

Hoje, passados esses 10 anos, sei que Clara, melhor do que qualquer um de nossa família, cumpriu sua missão. Através dela, Deus, mudou toda a estrutura e a forma de enxergar e de pensar de minha família.

“Sei que você, minha pequena e amada irmã, foi e é essencial, para que eu chegasse até aqui. Você sempre estará junto de nós, mesmo não sendo como nós tanto desejávamos. Muito obrigado!”

“Pai, agora posso ver que não nos abandonastes! Seu Filho provou da dor como nós, agiu por amor ao acatar o pedido de sua mãe e na cruz, no cume do sofrimento, se sentiu abandonado. Mas Ele permaneceu fiel e a Ti entregou o espírito.”

Dedico essa postagem a todos aqueles que foram abandonados, pois quando não temos mais nada, só nos resta Deus…por isso temos tudo!

Se sua vida hoje é um deserto, meu irmão, minha irmã, saiba que nas mãos de Deus, ele se torna fértil!

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

“Navegando em um sorriso”

Fazia muito tempo que não ía em uma adoração. E hoje um anjo passou lá em casa e me carregou … Não imaginava que chegando lá eu veria um dos mais belos sorrisos que já vi em toda a minha vida, o sorriso de um menininho chamado Igor, que tinha algum tipo de deficiência, ele disse que adorava cantar, e ele cantou pra mim “Eu navegarei”, e essa música nunca foi tão significativa para mim.

Pediram-me para levar uma vela iluminando o caminho antes do ostensório, e minha vela se apagou, como em muitas vezes na minha vida… Mas Deus sempre me dá a oportunidade de acendê-la novamente, e eu peguei outra vela, uma vela que estava mole, e dava pra modelar sua forma… E me vi sendo aquele monte de parafina, pronto para ser modelado, e pedi para que Ele me modelasse. Não quero ter que me refazer sozinha. Quero entender qual forma eu devo tomar, quero entender o que devo fazer e porque eu estou aqui.

Eu estou pronta pra servir. Então Deus, só peço que me use.

Oração de Um Gentio

Sabes que sou humano, jovem e por isso muitas vezes me falta o discernimento, a paciência e a ternura.

Reconheço os meus pecados e vejo o quanto é difícil combate-los, mas nego-me a acreditar que qualquer força, que não a Sua, possa guiar-me.

Vejo os irmãos mais pobres do que eu, e sinto dor e pena, mas ao mesmo tempo sinto-me triste por não poder ajuda-los como é necessário. Rogo por eles. Ajude-os a carregar o peso de suas cruzes.

Sei que muitos não crêem em Ti e por eles peço-Te, que tenhas um olhar amoroso e que os faça crer.

Não tenho forças suficientes para transmitir-Te, por isso peço-Te que me utilize e conceda-me o que a minha humanidade falta.

Faça-me um degrau da escadaria celeste, para que meus irmãos possam chegar até Ti.

Ensina-me a amar, para que eu possa ama-los.

Já não tenho medo, mas peço-Te que não me deixes faltar a cautela.

Tenho desejos, mas caso este atrapalhem as Tuas obras, retira-os de mim.

Semeie em meu ser, para que Tuas maravilhas possam florescer.

Que minha língua possa dizer Tua Verdade e não meramente reproduzir o que outros dizem.

Que minha música seja como um fruto em uma árvore, que cresce por ser alimentado, amadurece para alimentar e sacrifica-se ao solo, para que possa gerar vida nova.

Que meus gestos sejam semelhantes aos Vossos, mansos e humildes de coração.

Que meus passos fiquem marcados na estrada, como aqueles que não são pioneiramente trilhados, mas como aqueles que feliz buscam seguir-Te.

Sou grato pelo que sou, de modo maior pelo o que me tornastes.

Sinto-me valioso, por ser equiparado ao valor de seu amor, um amor de cruz.

Por fim, digo-te: “Amo-Te e confio em Ti, Oh Pai, e sei que nos ama. Eis-me aqui, o gentio que sente-se feliz em servir-te”.

Tenha fé meu irmão e vós também minha irmã. Saiba que Ele sempre te amou.

Espero, de todo meu coração, que eu possa ser um degrau na escada que leva-te a Ele.

“Essa é a primeira mensagem q postamos em comunhão”.

Essa é a primeira mensagem de muitas outras que postamos em comunhão.

Espero que toquem seus corações, assim como tocou o meu.

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

“Corta Pulsos”.

Quanto vale a vida?
Faço essa pergunta todas as vezes que a vejo sendo desvalorizada.
A alguns meses conheci um rapaz, que por alguns motivos chegou ao desespero de buscar a morte.
Nada parecia fazer sentido para ele…ele se tornou um “corta pulsos”.
Senti que Deus me chamava a ir na casa dele, chegando lá, vi toda a cena.
Ele tentava fugir da família. Três pessoas tentavam segura-lo.
Ele não ouvia ninguém.
Eu entrei, falei.
Ele me ouviu.
Conversamos muito e fomos ao hospital, para dar uns pontos no pulso.
Naquele dia, Deus me chamou a amar, mas uma vez.
Eu ouvi o que Ele me disse.
E por isso, mais uma vez estou aqui.
Muito obrigado pela minha vida, pelas vidas de todos os que amo, pela vida dos que não consigo amar, ainda.
Agradeço pelas vidas que pude ver ser salvos, por Ti, através de mim.
Recebi um chamado Teu…sinto que devo dizer sim!
"Veja minhas chagas de amor!"

"Veja minhas chagas de amor!"

O cúmulo da fé,

Acreditar sem ter visto.

O cúmulo da dor,

É viver a remediar.

 

Entre os cem melhores meios,

Eu fico com o zero.

Mas a neutralidade não sai do seu lugar.

 

Por que não pode ser,

Sempre como eu quero?

Qual a solução?

Qual a hora e o lugar?

 

Ora bolas, oro a Deus, na hora que eu quero.

Se a hora é essa,

Te desafio a me fazer acreditar.

 

"a covardia muitas vezes, nos leva ao desespero, ai só nos resta Deus. Nos resta TUDO".

"a covardia muitas vezes, nos leva ao desespero, ai só nos resta Deus. Nos resta TUDO".

É fácil, faço a faca, o fino ferimento.

E enquanto espero vejo o sangue jorrar.

Não escutarei o grito do lamento.

Pois sou um…”corta pulsos”.

 

A vida não parece brincadeira,

Quando se brinca de matar.

E a matança de si mesmo,

Parece um besteira.

“Experimente estar no meu lugar”.

 

Acredite se quiser,

Já tentei de muitas maneiras.

De muitas formas…

…Sair desse lugar…

…Um mundo de certas incertezas.

Em esperança?

Quero acreditar!

 

"se puder escolher, Senhor, escolho ficar, servir e amar".

"se puder escolher, Senhor, escolho ficar, servir e amar".

Vejo um anjo e logo choro.

 

Ele diz: – “Ela morre por último”.

 

Eu respondo: “Prefiro esperar”.

 

Ele fala do céu,

Mas não vejo suas asas e as tento imaginar.

 Olho seu rosto, tão humano.

Ele me responde: “Eu escolhi ficar e lutar”.

 

“Eis-me aqui, Senhor!”.

 

“Sozinhos somos NADA, juntos somos CRISTO”.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

“Chagados”

Sua dor, seu sangue, nossa salvação!

Sua dor, seu sangue, nossa salvação!

Quando pensamos em dor, de imediato nos lembramos de todas as sensações físicas que levam-nos a senti-la. As pancadas, farpas, as queimaduras…

Muitas vezes, só registramos em nossas mentes o cuidado, após termos sentido, por nós mesmos a dor. Nos parece irreal algo que não podemos sentir, não é mesmo? Então procuramos sentir para saber.

Talvez por isso para muitos seja tão difícil crer em Deus. Muitas vezes Ele é como a dor, algo que não cremos por ainda não termos experimentado. Mas muitas vezes Ele se vale da dor, para que possamos senti-lo, não na dor, mas no alívio, no amparo, no consolo.

Deus não é nossa muleta. Deus é nosso preparador e fisioterapeuta, físico e espiritual. Como preparador Ele busca evitar que venhamos a sentir a dor, mas nem sempre ouvimos. Como fisioterapeuta Ele nos cura, pouco a pouco, com a Sua sabedoria e com nosso esforço.

Creio que pela primeira vez utilizarei a História(ciência) como ferramenta. Através dela vejo um boa forma de analisarmos a dor.

Em sociedades da Antiguidade, as quais muitos chamam de “povos primitivos”, a dor era um elemento de inserção social. Nestas sociedades as provas de aceitação eram utilizadas como a forma de tornar “um igual”, o indivíduo que conseguisse superar a dor, buscando provar ao grupo o quanto era merecedor de ser um deles.

O Corpo era utilizado como documento, onde eram registradas as marcas de dor e de vitória. Nele desenhava-se a marca da tribo, grupo, sociedade ou civilização a qual o indivíduo pertencia.

O que existe de comum nos registros corporais dos “Antigos” e dos “Contemporâneos”, meus irmãos?

As tatuagens, as pinturas corporais em geral, os brincos, os colares e as vestimentas que hoje utilizamos, nos mostram o quanto nós, seres humanos, ainda buscamos registrar o que somos, mas diferentemente dos humanos que viveram no período da Antiguidade, me parece que hoje vemos o corpo e os adereços como uma forma de marcar não as nossas igualdades, mas sim as nossas diferenças.

Em ambos a dor se apresenta, como condição de se obter o que se busca. Sem ela todo o sentido de superação se perderia.

O próprio Cristo experimentou isto, ao sentir em sua carne o registro da dor, que sinalizava a Ele e a todos, inclusive a nós, qual fora a sua escolha.

Os chutes, tapas, socos e cusparadas. As chibatadas, a coroa de espinhos e as vestias rasgadas. A morte de cruz, as chagas, o sangue e água que de seu corpo jorraram.

Todas essas marcas se fizeram necessárias, para que nós crêssemos.

Muitos pendem para não sentir dor, não serem chagados, enquanto poucos vêem que maior do que a dor é a misericórdia de Deus.

Muitos temem as marcas, as chagas que a vida nos coloca. Poucos, como Francisco, pedem a graça de superar a dor.

Muitos temem as marcas, as chagas que a vida nos coloca. Poucos, como Francisco, pedem a graça de superar a dor.

Nosso irmão, Francisco de Assis, foi um destes poucos. Em suas orações clamou a Deus que pudesse sentir as dores das chagas como Cristo e como diz a palavra: “Aquele que pede será atendido”, Assis o foi, vivendo e morrendo com o orgulho de na dor ter encontrado as forças para se superar.

Meu irmão, minha irmã…cedo ou tarde a dor chega e quando ela vai nos deixa muitas marcas. Quando temos a Fé, quando confiamos em Deus, ela também chega e quando vai também nos deixa marcas, mas a única e grande diferença é que depois de sentir todo sofrimento e toda a dor, quando temos a Fé em Deus as marcas ficam e nos tornam provas, documentos, testemunhos, como o próprio Cristo foi.

 

NÃO TENHA MEDO DE SER CHAGADO! MESMO NOS MOMENTOS DE DOR DEUS SE FARÁ PRESENTE!

 

Lembre-se:

 “Ele nunca nos disse que seria fácil…apenas disse que valeria a pena”.

 

Olhem para as marcas…suas marcas e as marcas de seus irmãos. Vejam tudo o que superam, contando somente com Deus e contando com Ele e todos os que te amam.

  

“Sozinhos somos NADA, juntos somos CRISTO”.

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

“O Que Queres, Senhor?”

jesus_jovem

Essa deve ser nossa primeira pergunta a Deus, quando iniciamos ou damos término a uma jornada. Mas é isso o que fazemos de fato? Perguntamos com fé, confiantes que Ele nos ouve e nos responde?

Durante anos de minha vida iniciei as minhas caminhadas sem fazer esta pergunta, mas como Ele sempre me foi fiel, mesmo em minha infidelidade, terminei todas elas salvo. É engraçado olhar para trás e ver tudo o que ficou, principalmente quando se vê que muita coisa veio conosco até aqui.

“Hoje olho para o passado e me alegro, pois estou aqui vivo, feliz e buscando as forças que não tenho, mas que recebo do Pai, para seguir na caminhada”.

Quantos minutos, horas e dias de nossa vida, são dedicados ao vazio? Cristãos, ateus, judeus, ou pertencentes a quaisquer outras crenças, nos deparamos em algum momento de nossa vida, com a sensação de não sabermos o que estamos fazendo, o por que, o para quem, o como…seria muito fácil dar-te um conselho…busque a Deus!

Ao darmos este conselho, eu e Ele, não estamos dizendo que será fácil se viver, que não existirão sofrimentos, dores e obstáculos. Não afirmarmos que você terá tudo que quer e muito mesmo que você não passará por privações e provações. O que estamos dizendo, é que a vida apresentará dificuldades sim, que os sofrimentos, dores e obstáculos existirão sim, que não terás tudo o que queres e que passarás pelas privações e provações sim, mas que no antes, no durante e no fim de tudo, Ele estará contigo e que mesmo que as mãos do inimigo tentem te atingir, tu serás protegido.

Nada posso vos dar como certeza, a não ser o que eu vivi até aqui. Minha vida tem sido melhor do que pude imaginar, mesmo durante as tempestades.

Sinceramente, tenho dificuldade em seguir um caminho no qual duvido, a seguir uma pessoa que não me espira a confiança e de amar e perdoar pessoas que tentam me fazer o mal. Sigo esse caminho, por nele acreditar, tento seguir o exemplo de Cristo, pois Nele confio e tenho aprendido a perdoar e a ser perdoado.

Cristo passou o que nós humanos passamos e certamente se deparou com as dificuldades que eu e você deparamos, mas Ele fez algo simples, pediu e foi atendido, perguntou e foi respondido.

Na dúvida pergunte…”O que queres, Senhor?”.

Agradeço-Te desde já, pelas perguntas e pelas resposta, Pai!

“Sozinhos somos NADA, juntos somos CRISTO”.

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized